Project Description

Alegria e solidariedade marcam a volta das festas juninas nas Unidades da RJE 

Nos últimos meses, as unidades da Rede Jesuíta de Educação Básica (RJE) voltaram a ser enfeitadas com bandeirinhas coloridas e barracas com delícias típicas. Os estudantes trocaram os uniformes pelos famosos trajes caipiras. Sim, depois de dois anos, as festas juninas e as tradicionais “quadrilhas” voltaram a ocupar as quadras e os pátios escolares, animando estudantes, educadores, famílias e, também, fé com a celebração dos santos juninos, Santo Antônio, São João e São Pedro. 

A comemoração veio acompanhada de muita solidariedade também. O olhar cuidadoso ao próximo é uma das características marcantes dos colégios jesuítas. A história da nossa pedagogia assegura que oferecemos uma formação intelectual consistente e, igualmente, reforça que só se chega a sua plenitude se os estudantes também se tornam pessoas compassivas.  

“A compaixão é o contrário do isolamento e surge quando o aluno entra em sintonia com a realidade e vive a história com sentido”. 

Superior Geral dos Jesuítas, Pe. Arturo Sosa, no livro “A caminho com Inácio”

O amor e serviço são mensagens-chaves para entender a espiritualidade cristã, especialmente a inaciana, e são base para os documentos e publicações do Apostolado Educativo. Na atualização do Projeto Educativo Comum (PEC), documento norteador das dezessete Unidades Educativas da RJE, vemos como há apelos este sentido de alargamento de horizontes e partilha com o próximo. 

Conheça os Valores e Princípios da RJE 

Chamados a servir! 

Hoje, segundo dados do Inquérito Nacional Sobre Segurança Alimentar no Contexto da Pandemia Covid-19 no Brasil (VIGISAN II), 33,1 milhões de pessoas estão sem o que comer no Brasil. Assim, várias Unidades da Rede optaram por fazer de suas festas juninas também um momento de solidariedade

Confira a pesquisa completa no site Olhe para a Fome 

O Colégio dos Jesuítas, de Juiz de Fora (MG), organizou uma arrecadação de alimentos para a “Sociedade Beneficente Sopa dos Pobres”, uma organização que atua desde 1910 e atende cerca de 200 pessoas por dia na cidade.  

O Colégio Catarinense (SC) também fez um trabalho para a comunidade local. A unidade de Santa Catarina arrecadou produtos da cesta básica, para doação das famílias e entidades carentes da Grande Florianópolis.  

Com o “Arraial em Companhia”, o Colégio Loyola, de Belo Horizonte (MG), arrecadou cestas básicas para ajudar o Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJM.  

Outra Unidade que também se solidarizou com a causa dos migrantes e refugiados foi o Colégio São Francisco Xavier, de São Paulo (SP). O SANFRA apoiou a Casa Dom Luciano Mendes de Almeida, espaço ligado à Fundação Fé e Alegria do Brasil, instituição jesuíta, e que tem atua no acolhimento de migrantes e refugiados venezuelanos.  

No Ceará, a comunidade educativa do Colégio Santo Inácio mobilizou-se para conseguir doações para o projeto social Lar Nossa Senhora de Fátima e Kombi do Bem e arrecadaram 1 tonelada e meia de doações.  

Que saudade de você! 

A alegria da coreografia que deu certo e dos reencontros também foram marcas das festas juninas nas Unidades da RJE. Além do afeto, tão essencial na aprendizagem, o reconhecimento da tradição cultural de cada localidade também esteve presente nos festejos. Como exemplo, temos os colégios Diocesano e Diocesano Infantil, de Teresina (PI), com a “As tradições vivas da cultura teresinense”. 

“É muito bom poder ver nossos filhos participando destes eventos, se envolvendo com a nossa cultura e fazendo tudo isso enquanto se divertem, porque eles adoram participar. É algo que estava fazendo falta até para nós, como pais, que também gostamos muito de assistir as apresentações”, conta Sônia Vasconcelos, mãe de uma estudante do Diocesano.  

O reencontro, a cultura e a festa deixam paladares e corações saciados e um desejo grande que não demorem anos para uma próxima edição junina.