Project Description

Formação de professores para a cidadania global

Em palestra no 1.º Congresso da Rede Jesuíta de Educação, a Prof.ª Drª. Bernardete Gatti traz reflexão sobre a necessidade de mudanças, desde a formação dos docentes às dinâmicas curriculares nas escolas.

A densidade da população humana hoje, sua diversidade e condições de vida tornam o aprofundamento da formação dos professores necessário para uma educação capaz de formar cidadãos para a convivência e para a cooperação. Essa reflexão foi proposta pela Prof.ª Dr.ª Bernardete Gatti, no 1.º Congresso da Rede Jesuíta de Educação / 6.º Congresso Inaciano de Educação no Brasil, realizado de 2 a 5 de outubro no Colégio São Luís, em São Paulo.

Como parte da reflexão sobre Educação para a Cidadania Global, tema central do evento, Prof.ª Bernardete iniciou a conversa abordando o cenário social, científico e educacional na contemporaneidade e a Educação brasileira nesse contexto. “Há muita desigualdade educacional, o que leva a grandes desigualdades sociais. Então, temos que buscar maior justiça social dando às novas gerações, de todas as camadas sociais, condições de verdadeiro exercício da cidadania com tomada de decisões conscientes, bem fundamentadas. Isso demanda conhecimento, que demanda melhor educação”, disse a Prof.ª Bernardete.

Esse cenário requer pensar em novos pressupostos para a Educação, como o papel social da escola e das equipes educadoras e os objetivos da educação escolar. “Nosso papel não é apenas o de ensinar, temos um papel social que está cada vez mais sendo chamado a ser exercido. Como educadores, devemos caminhar na direção da perspectiva de justiça social”, acrescenta a Prof.ª Bernardete.

A professora destacou que o papel social da escola é ensinar educando, garantir aprendizagens e propiciar o desenvolvimento humano de crianças e jovens. Ressaltou que estabelecer um novo paradigma em educação exige mudanças, desde a formação dos docentes às dinâmicas curriculares nas escolas. “Escola justa é aquela que inclui, não exclui e qualifica. É aquela escola em que os alunos aprendem e se educam para a vida como cidadãos. Os desafios colocados à civilização humana são a preservação da vida neste planeta, a sobrevivência humana e a vida com dignidade”.

Para Bernardete Gatti, o grande desafio é o aprofundamento da formação dos professores e o preparo dos docentes da Educação Superior que fazem a formação dos professores para a Educação Básica, mas há um chamamento de consciência para todos os educadores. Destacou como premissas da formação docente o estudo interdisciplinar para atribuir significados sociais aos conteúdos e os valores a eles associados para uma vida melhor, passados por meio das relações e do comportamento de professores com seus estudantes.

Prof.ª Dr.ª Bernardete Gatti possui graduação em Pedagogia pela Universidade de São Paulo e Doutorado em Psicologia – Universite de Paris VII – Universite Denis Diderot, com Pós-Doutorados na Université de Montréal e na Pennsylvania State University. Docente aposentada da USP, foi professora do Programa de Pós-Graduação em Educação: Psicologia da Educação, da PUC-SP. Atuou como Consultora da UNESCO e de outros organismos nacionais e internacionais. Em 2014, assumiu como Diretora Vice-Presidente da Fundação Carlos Chagas, orientando e respondendo pelas ações do setor de Pesquisa e Educação. Membro titular da Academia Paulista de Educação (Cadeira n.º 27). Suas áreas de Pesquisa são: Formação de Professores, Avaliação Educacional e Metodologias da Investigação Científica. Em 2016, foi eleita Presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo.

Veja mais notícias sobre o I Congresso da RJE