Project Description

SEMINÁRIO REÚNE EDUCADORES DA REDE JESUÍTA DE EDUCAÇÃO EM APROFUNDAMENTO SOBRE ENSINO RELIGIOSO, PASTORAL E FORMAÇÃO CRISTÃ

Colaboradores das Unidades que integram a Rede Jesuíta de Educação do Brasil participaram, de 28 a 30 de setembro, do Seminário “Ensino Religioso, Pastoral/Formação Cristã na Rede Jesuíta de Educação: Aproximações, Vislumbres e Possibilidades”, realizado em regime remoto por meio da plataforma Teams. O evento foi fruto de uma parceria entre a RJE e a Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), em Belo Horizonte, e estava inicialmente pensado para acontecer em Itaici, em abril de 2020, mas, em função da pandemia, foi adiado.

O objetivo do seminário foi aprofundar estudos acerca da proposta Pedagógica da RJE no âmbito do Ensino Religioso e da Pastoral/Formação Cristã, apontando direcionadores futuros nos âmbitos curricular e formativo de educadores e educadoras.  O encontro articulou-se em torno de de quatro eixos temáticos: (1) Modo de proceder inaciano e as Preferências Apostólicas Universais da Companhia de Jesus; (2) Diálogos e articulações curriculares Acadêmico-Pastoral; (3) Epistemologias do Ensino Religioso e (4) Experiência de Deus.

Prof. Elton Vitoriano Ribeiro SJ

Os dias se iniciavam com momentos de acolhida e espiritualidade, seguidos da palestra ministrada por um assessor convidado. Depois, os participantes se dividiam em grupos de partilha e aprofundamento sobre o conteúdo apresentado. O primeiro eixo temático – Modo de proceder inaciano e as Preferências Apostólicas Universais da Companhia de Jesus – foi apresentado pelo Prof. Elton Vitoriano Ribeiro SJ, reitor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE). O prof. Elton partiu do “modo de proceder inaciano” – uma maneira de ser e agir que nos constitui, como pessoas à maneira dos apóstolos, inspirados por uma “mistagogia” e uma “teografia” (Exercícos Espirituais e Evangelho), pertencentes a uma comunidade de discernimento. Lembrou que somos convidados a buscar e encontrar Deus em todas as coisas, não “ocupando espaços”, mas “iniciando processos”, percebendo Deus presente em todas as coisas.

Ainda no primeiro dia, a professora guatemala Olga León abordou o tema “acadêmico e pastoral e sua integração no currículo”, comparando o itinerário da coesão entre as dimensões acadêmica e pastoral a uma viagem: “onde estamos, para onde vamos, com o que vamos, do quê precisamos para seguir, com quem vamos, como nos organizamos, o que devemos fazer durante a viagem e até onde queremos chegar?” Lembrou que, da mesma forma que nenhuma viagem é igual à outra, também os colégios são diferentes e cada um deve seguir sua própria riqueza e originalidade.

Professora Olga León

O segundo dia do Seminário seguiu com o momento de oração organizado pelo Colégio Anchieta de Porto Alegre (RS). O momento de interioridade foi marcado com uma bela surpresa: um vídeo feito pelos estudantes do Colégio em parceria com o Espaço Magis (do Programa Magis Brasil) ) em que foi proposta a reflexão “O que te inspira a mudar de rota?”. A pergunta fez referência ao Ano Inaciano, evento mundial que marca os 500 anos da conversão de Santo Inácio de Loyola. 

Após a oração inicial, os educadores tiveram um momento de formação com a Dra. Gisele do Prado Siqueira (PUC Minas), sobre “Epistemologias do Ensino Religioso” em que foram apresentados os avanços legais e desafios do Ensino Religioso como componente curricular. Para a professora, o trabalho do Ensino Religioso ocupa um lugar fundamental na construção de sentidos, na transformação de vidas e histórias quando numa predisposição à atitude dialogal.  O dia seguiu com a divisão dos educadores em grupos para um momento de partilha. Para finalizar,  a Unidade ESAR promoveu a Pausa Inaciana, numa “memória agradecida” pelo dia de trabalho. 

No terceiro e último dia do seminário, o professor jesuíta Geraldo Luiz De Mori, do departamento de Teologia da FAJE, abordou o tema da experiência de Deus. A partir do pensamento do filósofo jesuíta Henrique Cláudio de Lima Vaz, ele propôs uma distinção entre experiência de Deus e experiência religiosa. O professor De Mori lembrou que, para o filósofo mineiro, “a experiência religiosa não é, especificamente, uma experiência de Deus; e a experiência de Deus não é, estruturalmente, uma experiência religiosa, sendo a experiência religiosa uma experiência do Sagrado e a experiência de Deus, uma experiência do Sentido”. Segundo ele, embora a experiência religiosa tenha encontrado, em suas formas mais altas, uma expressão teológica, a experiência de Deus não é, estruturalmente, uma experiência religiosa. Na verdade, a experiência de Deus é a experiência de um Sentido radical e não a de um Sagrado. No cristianismo, a experiência de Deus é “a experiência da presença do Sentido radical numa existência historicamente dada, a existência de Jesus, e na palavra da Revelação que é totalmente condicionada por essa existência histórica na medida em que dela procede e a ela se refere”, explicou.

Dra. Gisele do Prado Siqueira e Irmão Jorge de Pausa, SJ.

Encerrando o evento, Ir. Raimundo Barros, Fernando Guidini e Mariângela Risério fizeram uma síntese final e apontaram alguns caminhos a partir do seminário. Para o Ir. Raminundo, o seminário foi uma construção de memória pessoal e coletiva, a partir de múltiplos olhares, o que se mostra vital para a missão da Rede. Como compromissos a partir de agora, ele apontou: 1) avançar na experiência de unidade acadêmica e pastoral; 2) comprometer-se com a criação de um bloco de formação continuada religiosa e pastoral (Comitê de Formação Continuada); 3) Elaborar um itinerário formativo dos alunos da RJE, na perspectiva do âmbito espiritual/religioso, respeitando-se o específico de cada unidade; o Comitê Currículo deverá criar um grupo para trabalhar o desenho do itinerário formativo. O Professor Fernando Guidini, por sua vez, destacou o compromisso da formação continuada, que aponta para a necessidade de novas categorias, que estejam em sintonia com as PEC 21 a 25, tendo como horizonte a formação para a cidadania global. Por fim, Mariângela destacou a riqueza do trabalho em rede, no qual colaboradores e direções acadêmicas tecem juntos e desenham um grande mosaico, que deve ser construído a partir de um discernimento conjunto: para onde devemos avançar?

O seminário foi encerrado com uma celebração eucarística transmitida pelo canal da RJE no YouTube, presidida pelo Pe. Mário Sündermann, SJ e animado pela equipe do Colégio Loyola, de Belo Horizonte.

Colaborou: Graziela Cruz, Coordenadora de Comunicação Integrada da FAJE.